Wednesday, June 17, 2009

Nutrição no Controle de Peso – Componentes do Peso Corpóreo e Tecido Adiposo


A maioria dos adultos mantém um peso corpóreo constante, devido ao complexo neural-hormonal-químico, que estabelece o equilíbrio entre a ingestão calórica e o gasto energético. As anormalidades destes mecanismos, muitas das quais não são completamente conhecidas, resultam em flutuações exageradas de peso. Destas as mais comuns são o excesso de peso e a obesidade.
A obesidade é mais comum em mulheres do que em homens; em mulheres negras do que em brancas, em homens negros de meia-idade do que em homens brancos da mesma idade; em mulheres pobres do que em prósperas; e em homens ricos do que em homens com renda menores. Está diretamente relacionada com a mortalidade e muitas doenças crônicas como doenças cardíacas, diabetes tipo 2, hipertensão, acidente vascular cerebral, doenças biliares, apnéia do sono, certos tipos de cânceres e osteoartrites.
Apesar de a sociedade estar sendo gradualmente esclarecida de que a obesidade é uma questão mais complexa que apenas um problema de autocontrole de peso, o obeso particularmente mulheres, meninas adolescentes e o obeso mórbido continuam encontrar discriminação em áreas como escola, trabalho e oportunidades socias. As vítimas entram num ciclo vicioso de baixa auto-estima, depressão, compensação alimentar, aumento da obesidade, rejeição social e futuras ações de autodefesa.
Entre os profissionais de saúde, pelo menos, a visão simplista da obesidade como um reflexo da ingestão excessiva ou da atividade física inadequada está sendo gradualmente abandonada em favor do reconhecimento da interação complexa dos fatores fisiológicos, metabólicos e genéticos que levam a um estado físico indesejáveis.
Para entender como ocorre o aumento de peso é necessário compreendermos os componentes que compõe o peso corpóreo. Desta forma, o peso corpóreo é a soma dos ossos, músculos, órgãos, fluidos corpóreos e os tecidos adiposos. A água, que representa 60 a 65% do peso corpóreo, é o componente mais variável e o estado de hidratação pode induzir flutuações de vários quilos. O músculo e mesmo a massa esquelética ajustam-se até um certo grau para suportar a alteração de carga do tecido adiposo. Mas, a perda ou ganho excessivo de peso são associados primariamente a uma mudança no tamanho de depósitos de gordura.
A gordura, é estocada como triglicerídeo no tecido adiposo. A gordura corpórea para a mulher adulta varia de 20 a 25% do peso corpóreo, e cerca de 12% de gordura essencial. Nos homens a gordura é de 12-15% do peso corpóreo, e aproximadamente 3% de gordura essencial. As gorduras essencias em ambos os sexos incluem a gordura armazenada na medula óssea, coração, pulmão, fígado, baço, rins, intestinos, músculos e tecidos ricos em lipídeos no sistema nervoso e são necessárias para o funcionamento fisiológico normal. A gordura armazenada é a gordura que se acumula abaixo do tecido adiposo, da pele e ao redor dos órgãos para protegê-los contra o trauma.
O tecido adiposo é aumentado pelo aumento do tamanho das células já presentes quando a gordura é adicionada (hipertrofia) ou pelo aumento do número de células (hiperplasia). O ganho de peso pode ser resultante da hipertrofia, hiperplasia ou a combinação dos dois. A obesidade é sempre caracterizada pela hipertrofia, mas somente algumas formas de obesidade envolvem a hiperplasia.
Os depósitos de gorduras podem expandir em até 1000 vezes somente pela hipertrofia, um processo que pode ocorrer em qualquer período desde que haja espaço disponível nos adipócitos. A hiperplasia ocorre primariamente como parte do processo de crescimento durante a infância e adolescência, mas também pode ocorrer na fase adulta quando o conteúdo de gordura das células existentes tiver alcançado o limite de sua capacidade.
Contrário às teorias desenvolvidas nos anos de 1970, é bem aceito atualmente que o número de células de gorduras podem aumentar durante a vida. Os números de células de gorduras não aumentam até que o tamanho máximo da célula tenha sido alcançado. O número de células não se reduz com a perda de peso corpóreo. A prevenção é a chave, pois uma vez que a gordura é ganha e mantida durante um tempo é mais difícil de perdê-la.

Tuesday, March 10, 2009

Vida sob medida




Sua VIDA é um projeto singular – Um vida por medida...
O mundo em que vivemos muitas vezes quer nos enquadrar em um estilo de vida padronizado. Os carros, os televisores e a maioria dos produtos que consumimos no nosso dia-a-dia desde a revolução industrial não são mais fabricados “por medida”. É raro alguém comprar um automóvel, uma moto, um eletro doméstico ou algo do gênero que tenha sido fabricado exclusivamente para ele. É bem verdade que as empresas procuram incrementar seus produtos para que eles tenham a aparência que estes foram produzidos com exclusividade, mas a realidade é que estes produtos são números em uma série! Parece que essa realidade tem se voltado até mesmo para produtos que nunca deveriam ser desenhados, fabricados e desenvolvidos em séries para atender INDIVIDUOS. Isso mesmo, você não é um projeto em série, você não é um clone! Portanto há certos produtos que não deveriam ser produzidos para você. A nutrição como serviço, como muitos outros serviços têm sido alvo dessa demanda comercial. Há dietas desenhadas em massa, para as massas, mas muitos se esquecem que eles são indivíduos que possuem uma “única” identidade fisiológica, por isso se frustram quando não alcançam o sucesso quando se utilizam desses programas. O que funciona para um grupo, nem sempre funcionará para VOCÊ. Os cientistas da área da genética estão se voltando cada vez mais para esse conceito da individualidade como sendo a solução para o controle do peso. Eles estão cada vez mais convencidos que as pessoas aproveitam de forma diferente os nutrientes que eles consomem e os resultados desses nutrientes produzem reações individuais para cada pessoa. Por exemplo, há indivíduos, por causa de fatores genéticos, aproveitam melhor o ácido fólico extraídos das hortaliças de pigmento verdes escuros, enquanto outros não aproveitam tão bem, ainda que consumam a mesma quantidade desses alimentos. Olhando por esse ângulo, seria um erro considerar sua dieta algo simples e comunitário. Não é recomendável a sua saúde e a sua motivação de alcançar o seu peso ideal que você se submeta a um serviço que esteja dentro de um pacote opaco com promessas milagrosas que não consideram sua individualidade. Essa é a essência do tratamento oferecido pelo APO’S NUTRITION AND HEALTH LLC. Nós queremos que VOCÊ seja VOCÊ e responda satisfatoriamente à um programa de controle de peso que tenha a sua característica e a não a característica de alguém que foi idealizada na mente de algum produtor de marketing na área da estética. Nós acreditamos no que fazemos e buscamos investigar o paciente como alguém singular. Considerando as palavras do filósofo grego Hipócrates, “Seja sua comida seu remédio, e seu remédio sua comida” que tratamos os nossos pacientes. Ninguém sai por ai tomando qualquer tipo de remédio, não é verdade? Por que então sair por ai comendo qualquer tipo de comida, e fazer qualquer tipo de dieta? Junte se a nós e comece hoje sua jornada rumo ao SEU melhor.

Nutricionista Ana Paula Ornelas
Fundadora dos APO’S NUTRITION AND HEALTH LLC.



Endereço

9 Main street, suíte 11
PEABODY, Ma - 01960

Tel: (978) 538 1313

Email
anapaulaornelas@gmail.com

"SEU PESO É IMPORTANTE PARA NÓS"

Tuesday, February 17, 2009

Tuesday, January 13, 2009

Monday, October 6, 2008

Parabéns pelo incrível resultado Tatiane. Nós estamos realmente imprecionados com sua determinação em alcançar seu peso ideal.

Antes
depois

depois
127 libras a menos
Nós do APO's Nutrition and Health gostaríamos de parabenizar a Tatiane pelo incrível esforço de lutar por uma vida mais saudável, e pelo sucesso que vem obtendo em seu tratamento!
Nós sabemos que uma grande parte do sucesso de nossos pacientes é proveniente de uma determinação pessoal. Nós, por sua vez, nos aliamos ao paciente com toda a nossa experiência e conhecimento na ciência da nutrição para personalizármos o melhor plano dietético para perda de peso desejável e saudável de nossos pacientes.
Estamos realmente felizes pelo seu sucesso, Tatiene.
Continue firme e já- já você alcança seu alvo. Conte conosco.


Friday, October 3, 2008

Testunho do CRISTIANO - Parabens pelo sucesso




Peso inicial 228.4lb, o final 186 lb.
"Eu achei que eu ia passar fome, o trtamento é muito diferenciado, porem depende mais de você e de sua força de vontade. O tratamento me ajudou bastante, já estou mantendo o peso, meu joelho não doi tanto e parei de dormir no sofá, hoje já durmo na minha cama, pois não ronco mais! Ao todo perdi 42 lb e me sinto uma nova pessoa."



Friday, September 26, 2008

Promoção para nossos clientes- Ganhe $5,00 de desconto para cada pessoa indicada por você.


Gostaríamos de favorcer os nossos clientes antigos e atuais com possibilidades de retorno financeiro nas próximas consultas. Do dia 1 de Outubro até o dia 31 de Dezembro de 2008, o APO's estará enviando coupons de descontos para os nossos pacientes que indicarem amigos ou parentes. Esta é uma forma de beneficiarmos a tantos pacientes que têm feito a nossa clínica, pioneira no tratamento nutricional na comunidade brasileira nos Estados Unidos, se tornar um sucesso contribuindo tanto com sua perseverança rumo ao peso ideal, quanto na indicação de novos pacientes. Cabe a nós reconhecermos este esforço e buscar uma forma de gratificá-los. Você estará recebendo em sua casa em breve um coupon semelhante a este postado no nosso blog. Esperamos por você em nossa clínica em breve. Até lá então.


Ana Paula ornelas

Wednesday, September 17, 2008

Testemunho da GISLAINE MOURA -- PARABENS PELO SUCESSO!

Inicio do tratamento
Durante o tratamento

quase no final do tratamento

"Eu com 26 anos cheguei a pesar 203 libras ,quando comecei o tratamento com a Ana paula eu estava com 196 libras, vendo que algumas dietas nao eram muito agradaveis. tentei com a Ana Paula...
Hoje em menos de 5 meses de tratamento com ela ,vou dizer a verdade, me sinto a mulher mais linda e feliz do mundo. Primeiro Deus foi quem me deu forca pra chegar ate aquii ,e depois a Ana Paula,e eu claro, com minha grande força de vontade...
Hoje eu com 42 libras a menos, pesando 154libras me sinto muito bem, só quem faz esse tratamento é capaz de entender esse momento. Depois de tudo que passei e como me senti aantes ,e tudo que estou vivendo agora e como estou me sentindo nesse momento!

Obrigada Ana Paula pelo seu carinho !

AHHH estamos quase lá ,só faltam 24 libras,
gracas a Deus!"







Saturday, August 23, 2008

Nutrição na operação bariátrica


Nutrição na Cirurgia Bariátrica

Também conhecida como cirurgia da obesidade, cirurgia para redução de peso, operação do estômago, gastroplastia a cirurgia bariátrica é realizada em pessoas com a chamada obesidade mórbida isto é indivíduos que tem 45 Kgs ou mais de sobrepeso ou tem um índice de massa corporal (IMC) igual a 40 ou maior ou igual ou maior que 35 caso tenha comorbidades associadoas à obesidade, como diabetes, hipertensão, dislepidemias.
A cirurgia bariátrica deve ser antecedida por reuniões com a equipe de profissionais responsável, bem como com pacientes já operados para ter certeza de sua decisão. Pela parte do nutricionista um trabalho preliminar na mudança de hábitos alimentares deve ser feito e um acompanhamento rígido é importante para o sucesso. Em todo o processo devemos lembrar ao paciente que a obesidade é um problema multifatorial que a cirurgia sozinha não poderá resolv-lar.
Após a cirurgia bariátrica, a nutrição tem um papel importante porque a quantidade e o tipo de alimentos a serem consumidos devem ser limitados. O objetivo do acompanhamento nutricional é buscar o bem estar físico e emocional, através da seleção dos alimentos que contenham os nutrientes mais saudáveis e que estejam adequados às necessidades de cada indivíduo para que a rápida perda de peso não leve à desnutrição.
De maneira geral, a principal mudança na alimentação após a cirurgia é uma diminuição importante na quantidade de alimentos consumidos diariamente devido a redução do estômago. Porém, outros cuidados com a alimentação são fundamentais. Pode-se dividir o cuidado com a alimentação em cinco fases após a cirurgia:
1º fase – fase da alimentação líquida: esta fase compreende as duas primeiras semanas após a cirurgia e caracteriza-se com uma fase de adaptação. A alimentação é liquida e constituída de pequenos volumes (em torno de 50 mL por refeição) e tem como principal objetivo o repouso gástrico, a adaptação aos pequenos volumes e a hidratação. Como conseqüência da alimentação liquida, a perda de peso é bastante grande nestas duas semanas, devendo-se introduzir o uso de complementos nutricionais específicos para evitar carências de vitaminas e de minerais. A orientação nutricional deverá ser iniciada pelo médico e nutricionista já no hospital, antes da alta hospitalar.
2º fase – fase da evolução de consistência: de acordo com a tolerância e as necessidades individuais, a alimentação vai evoluindo de liquida para pastosa com a introdução de preparações liquidificadas, cremes e papinhas ralas. A evolução de cada paciente é variável de forma que a escolha de cada alimento deve ser acompanhada cuidadosamente para evitar desconforto digestivo como dor, náuseas e vômitos, esta fase tem um tempo de duração diferente para cada indivíduo porém, em média, dura em torno de 02 semanas.
3º fase – fase da seleção qualitativa e mastigação exaustiva: passado o primeiro mês após a cirurgia, inicia-se uma fase onde a seleção dos alimentos é de fundamental importância pois, considerando que as quantidades ingeridas diariamente continuam muito pequenas, deve-se dar preferência aos alimentos mais nutritivos escolhendo fontes diárias de ferro, cálcio e vitaminas. O paciente deverá receber um treinamento para reconhecer quais são os alimentos mais ricos neste nutrientes de forma a ficar mais independente para escolher as principais fontes de minerais e vitaminas encontradas nas suas refeições diárias. Como a alimentação passa a ser mais consistente deve-se mastigar exaustivamente. A duração desta fase também varia individualmente e dura em média 01 mês.
4º fase – fase da otimização da dieta: nesta fase a alimentação vai evoluindo gradativamente para uma consistência cada vez mais próxima do ideal para uma nutrição satisfatória. Geralmente, esta fase ocorre a partir do 3º mês após a cirurgia quando, quase todos os alimentos começam a ser introduzidos na alimentação diária. O cuidado com a escolha dos alimentos nutritivos deve continuar pois, as quantidades ingeridas diariamente continuam pequenas. Nesta fase o paciente pode ser capaz de selecionar os alimentos que lhe tragam mais conforto, satisfação e qualidade nutricional. Somente não são tolerados alimentos muito fibrosos e consistentes.
5º fase – fase da adaptação final e independência alimentar: esta fase deve acompanhar o paciente a partir do 4º mês e , como nas fases anteriores, também evolui de acordo com as características individuais podendo iniciar-se um pouco antes ou um pouco depois do 4º mês. A partir desta fase, um acompanhamento periódico faz-se necessário somente para o acompanhamento da evolução de peso e levantamento de informações para identificar se existem carências nutricionais como, por exemplo, a anemia. O paciente já tem bastante segurança na escolha dos alimentos e está apto a compreender quais são os alimentos ricos em proteínas, glicídios e lipídios, cálcio, ferro, vitamina A, vitamina C, folatos além de outras propriedades nutricionais.
Deve-se também lembrar que:
-A rápida perda de peso leva a uma aumento transitório dos níveis de ácido úrico na circulação, quando a hidratação não é suficiente poderá haver formação de litíase renal (pedra nos rins). Por este motivo o consumo de líquidos deve ser monitorado para evitar que a urina fique muito concentrada. Sem dúvida. O consumo de líquidos deve ser constante, independente da sede.
- Dentre os alimentos mais fibrosos e de aceitação mais tardia está a carne vermelha. Enquanto ela não for introduzida na alimentação, o nutricionista deverá orientar o paciente sobre outras fontes de ferro presentes na alimentação. O consumo de alimentos ricos em ferro deve ser constante, principalmente se não for possível consumir carne vermelha.
-O consumo de alimentos açucarados deve ser evitado por dois motivos: 1º porque o valor calórico é elevado e 2º, dependendo da técnica cirúrgica, poderá haver Síndrome de dumping.
-A perda de peso é muito intensa principalmente durante as duas primeiras semanas após a cirurgia. O ritmo acelerado de emagrecimento continua a ser observado até o terceiro mês e , a partir de então, passa a ser mais lento. Este é um processo natural de adaptação fisiológica que faz com que o organismo passe a gastar menos energia diariamente para evitar que a perda de peso rápida e permanente leve à desnutrição e aos conseqüentes riscos à saúde como a queda da resistência à infecções, desmineralização óssea, dentre outros. Uma maneira de melhorar a perda de peso nesta fase é a atividade física regular. O exercício faz com que o organismo gaste mais energia, o que ajuda a perder peso, além de trazer uma sensação de bem estar e relaxamento. Entretanto, deve-se procurar orientação médica para a avaliação do momento adequado para iniciar o exercício e também para a escolha do melhor tipo de atividade a ser realizada. Lembre-se nao seria interessante voltar a fazer dieta líquida como nas duas primeiras semanas após a cirugia pois poderá debilitar seriamente o organismo.
-Toda vez que as calorias da dieta são inferiores a 1250 Kcal ao dia é necessário complementar vitaminas e minerais. No caso da cirurgia bariátrica, o valor calórico da alimentação se aproxima de 350 kcal nas primeiras semanas e continua inferior a 1250 kcal no mínimo até o sexto mês após o inicio do tratamento. Principalmente durante este período, a complementação de vitaminas e minerais é indispensável e não se deve preocupar pois vitamiasn e minerais não engordam pois não produzem calorias.
Para finalizar, sabemos que um consumo excessivo de alimentos semelhante ao anterior à cirurgia não ocorre porque o estômago não pode receber quantidade elevadas de alimentos. Entretanto, a alimentação em pequenas quantidades pode ter um valor calórico alto quando é rica em lipídios (gorduras) ou carboidratos e o indivíduo poderá retornar ao ganho de peso. Por isso a educação nutricional é essencial. Procure um nutricionista para que uma avaliação nutricional individualizada seja feita e você tenha uma alimentação equilibrada nutricionalmente o que irá garantir sua qualidade de vida.

Wednesday, August 20, 2008

Bulemia e anorexia -- distúrbios aimentares

Nutrição e Saúde
Transtornos Alimentares: Anorexia e Bulimia Nervosa.


O padrão de beleza atual é demasiadamente rígido. Nos últimos 30 anos por trás do padrão de magreza quase esquelética imposto pela mídia estão mensagens do tipo “ser magra é ser bela, portanto, feliz”. É intrigante ver uma adolescente magricela recusar tomar um café manhã ao acordar dizendo estar de regime. Esse comportamento pode ser um sinal de alerta para um problema mundial que atinge 1% da população feminina entre 18 e 40 anos e que pode levar à morte.
Os transtornos alimentares constituem uma verdadeira epidemia que assola sociedades industrializadas e desenvolvidas acometendo sobretudo adolescentes e adultos jovens. Os transtornos alimentares são definidos como desvios do comportamento alimentar que podem levar ao emagrecimento extremo, entre outros problemas físicos e incapacidades. Os principais tipos de transtornos alimentares são a Anorexia Nervosa e a Bulimia Nervosa.
Anorexia nervosa é uma desordem caracterizada por uma imagem distorcida do próprio corpo e um medo mórbido de engordar, o que leva à recusa por manter um peso mínimo normal. Anorexia significa "falta de apetite" mas, na realidade, ocorre uma negação consciente para se alimentar e com o transcorrer do tempo, a falta de apetite se concretiza. Os anoréxicos fazem de tudo para anular seu apetite e conseqüentemente emagrecerem, e quanto mais emagrecem, mais se sentem gordos, desenvolvendo um ciclo vicioso que pode ser fatal. As pessoas que sofrem de anorexia nervosa na verdade têm muita fome e são preocupadas com comida. O sintoma mais importante é a recusa de alimentos e normalmente apresentam apetite "caprichoso" podendo consumir poucos ou até apenas um único alimento. Embora ingiram pouca quantidade de comida, nunca o fazem em lugares públicos e o tempo que se utilizam para completarem uma refeição chega a levar horas, sendo que os alimentos levados à boca ficam sem serem mastigados por vários minutos. A pele seca, amarelada, os cabelos finos e quebradiços e uma leve queda de cabelos conferem a essas pacientes uma aparência bastante envelhecida, apesar de muito jovens. Ocorre também a interrupção do ciclo menstrual, surgindo como primeiro sintoma. As causas são desconhecidas, mas diversos fatores parecem contribuir para a desordem, como aspectos sociais, familiares, ambientais e genéticos. Flaherty dividiu a Anorexia Nervosa em dois subtipos: as restritivas e as bulímicas. As restritivas apenas controlam o peso pela ingestão de baixas calorias e através de exercícios excessivos. As bulímicas, após ingerir grandes quantidades de alimento, provocam vômitos e fazem uso de diuréticos, laxantes e anorexígenos para emagrecer.
A Anorexia Nervosa acomete basicamente o sexo feminino, na razão de 8-10 vezes mais em comparação ao masculino na qual sua incidência tem aumentado muito nos últimos anos, sendo a frequência maior em homosexuais. As mulheres brancas ocidentais de classes sócio-econômicas média-alta e alta têm maior incidência de Anorexia que as demais. Há maior incidência nas escolas de dança (ballet), entre manequins, em escolas particulares e de um modo geral, as pacientes possuem um nível de inteligência acima da média. O surgimento da anorexia normalmente ocorre no início da adolescência. O seu diagnóstico só é feito quando há perda de pelo menos 15% do peso esperado para idade e altura, excluindo, evidentemente, outras patologias clínicas. É importante que os pais nos primeiros sintomas de restrição alimentar avalie a intensidade do regime que esta sendo feito pela sua filha e sua real necessidade. Caso haja um exagero desmedido e as mesmas não tenham um comprovado aumento do peso esperado para sua altura e idade, procure os cuidados de profissionais de saúde capacitados na área.
Bulimia Nervosa é uma síndrome caracterizada por ataques repetidos hiperalimentação e preocupação excessiva com o controle de peso corporal, o que leva o paciente a adotar medidas extremas para não engordar, como vômitos auto-induzidos após a ingestão de alimentos, abuso de purgantes e períodos alternados de inanição.
Os sinais e sintomas são episódios de hiperfagia (consumo de grandes quantidades de comida em um curto período de tempo) seguida por vômitos. Na bulimia os pacientes realizam verdadeiras orgias alimentares, onde grandes quantidades de alimentos são ingeridas compulsivamente, não se discriminando doces de salgados. As bulímicas consideram seus hábitos alimentares vergonhosos e devido ao forte sentimento de culpa pelo o ato e medo de engordar as bulímicas procuram manter seu peso através do vômito induzido (geralmente realizados às escondidas, numa freqüência mínima de duas ou mais vezes por semana) e do abuso de purgantes, períodos alternados de inanição, uso de drogas como anorexígenos e diuréticos. Realizam esquemas rígidos de dieta e jejuns alimentares e freqüentam com exagerada assiduidade academias de ginástica. Bulímicos costumam manter seu peso próximo do normal para idade e altura. O vômito auto-induzido pode provocar esofagite de refluxo e aumentar as glândulas paratirótidas, assim como diminuir a taxa de potássio no sangue, causando ritmo cardíaco anormal. Fisicamente também podem apresentar calosidade no dorso da mão, desgaste dentário e conseqüente presença de cáries em razão do suco gástrico.
A idade do surgimento da bulimia tende a ser ligeiramente mais tardia, situando-se por volta dos 18 anos, e até os 40 anos. A grande maioria dos pacientes é do sexo feminino (cerca de 90%), sendo ligados principalmente à moda, à dança e ao atletismo. É mais freqüente nas classes média-alta e alta. A incidência é grande em cursos secundários e universitários. Entre as pacientes existe forte presença de problemas afetivos, transtornos ansiosos, abuso e dependência de drogas. Os pais devem estar atentos com a excessiva preocupação da paciente com relação ao peso corporal e com a possibilidade de se tornarem obesas, aliada a hábitos alimentares estranhos. Evidentemente, os episódios são difíceis de serem constatados. Existindo esses sintomas, procurem os cuidados de profissionais capacitados na área.

Wednesday, August 6, 2008

Parabéns Meire Pelo seu esforço e progresso


Faltam apenas algumas libras, estamos muito felizes com esta grande conquista. Sabemos que não é fácil, mas vence quem persevera. Você vai ver e experimentará dos prazeres e da saúde que temos quando estamos no peso ideal. O mais importante que você tem conseguido esta conquista sem remédios, apenas com uma alimentação balanceada.

Saturday, August 2, 2008

Pílulas emagrecedoras - Solução ou destruição?



Nutrição e Saúde
Pílulas Emagrecedoras
A preocupação com o corpo está em alta, e o consumo de produtos para emagrecimento cresce cada vez mais. São fórmulas emagrecedoras em cápsulas, chás, suplementos alimentares, florais e até produtos dermatológicos de ação local (gel redutor, cremes termogênicos, máscaras especiais, etc.). As fórmulas emagrecedoras podem conter ingredientes dos mais simples aos mais complexos. Os compostos mais usados nessas fórmulas são substâncias laxantes, diuréticas, anti-gordura, inibi

dores de apetite, calmantes, reguladores da tiróide. E aqui vale uma pergunta, até que ponto vale a pena arriscar a própria saúde para emagrecer? Dados preliminares de uma pesquisa realizada pelo Cebrid (Centro Brasileiro de Informações sobre Drogas Psicotrópicas), da Unifesp, mostram que 59% das pessoas que já tomaram remédios para perder peso não eram obesas do ponto de vista médico e nutricional. Geralmente o que ocorre na prática é a cena descrita a seguir: O paciente conversa com o profissional de saúde, diz quantos quilos quer perder e recebe uma fórmula "milagrosa" que inclui substâncias inibidoras de apetite, calmantes, laxantes e diuréticas. E ainda alguns enviam seus dados por email ou telefone não tendo assim nem ao menos um contato com o profissional. E o pior alguns repetem a receita de um conhecido. É importante salientar que não existem drogas para emagrecer, mas simplesmente drogas que fazem perder o apetite. As mais comumente usadas são do grupo das anfetaminas. As anfetaminas são medicamentos sintéticos que eram usados antigamente para o tratamento da depressão. Curiosamente, a primeira anfetamina foi desenvolvida nos anos 30, quando se buscavam novos descongestionantes nasais, e logo foi abandonada em razão da gama de possíveis efeitos colaterais graves que apresentava. Os derivados da anfetamina fazem parte dos inibidores de apetite, usados em regimes de emagrecimento. Receitados e tomados em dietas para perder peso, freqüentemente escapam do controle do médico e do próprio paciente, que pode passar a desenvolver dependência química. As anfetaminas, além de suprimirem o apetite, prejudicam o sono e causam irritabilidade e ansiedade. Em uma tentativa de contrabalançar esses efeitos colaterais, um calmante benzodiazepínico (que, por sua vez, também é gerador de dependência) é acrescentado indevidamente à anfetamina em fórmulas manipuladas para fins de emagrecimento. Com grande freqüência, o paciente acaba consultando vários médicos em busca da receita do remédio com o qual se "evita o risco de engordar de novo" ou, pior, procura-se no mercado ilegal a droga para suprir a sua dependência química. É sempre bom lembrar que uma boa associação para quem quer perder peso e manter a saúde é unir dieta controlada e exercícios físicos. Os inibidores de apetite, ou anfetamínicos, além de acabar com a fome, provocam reações no organismo que, mesmo em baixas dosagens, lembram a ação da cocaína. Segundo Solange Nappo, a pessoa fica alerta, com as pupilas dilatas, não se cansa e pode ficar irritadiça ou perder o sono à noite. Para minorar esses efeitos, os médicos prescrevem calmantes como Diazepan e Lexotan. "O potencial desses remédios para causar dependência é ainda maior", diz a farmacêutica-bioquímica. E aqui vale uma ressalva, mesmo os medicamentos conhecidos como fórmulas preparadas em farmácias de manipulação, a partir da receita do médico, é apenas uma maneira de personalizar o tratamento, pois as diferenças entre uma formulação e outra são mínimas, e os efeitos são os mesmos. Na classificação das drogas a substância ativa chamada metilenodioximetanfetamina (MDMA) está presente nas anfetaminas, na adrenalina, na dopamina entre outras. Esta mesma substância (MDMA) está presente também numa droga clandestina alucinógena e estimulante chamada ecstasy. Ao ser ingerido a droga ecstasy, atua no cérebro aumentando a produção e diminuindo a absorção de serotonina, hormônio responsável pela sensação de satizfação e prazer. Além de prazer, este hormônio é responsável também pelas sensações de disposição, humor, controle de apetite e regulação da temperatura corporal. A substância ativa que proporciona todas essas disfunções chama-se MDMA. O que queremos com este artigo e que você compreenda que a única situação em que estes medicamentos para emagrecer devem ser utilizados são para pacientes com obesidade mórbida (grave) que exigem um emagrecimento rápido para sair do risco de vida ou para indivíduos com disfunções endócrinas. Para indivíduos com sobrepeso ou uma leve obesidade um dieta balanceda e atvidade física continua sendo o recomendado.
Até a próxima,
Nutricionista – Ana Paula Ornelas

Friday, July 25, 2008

Galeria de fotos de pacientes que tiveram sucesso. Você é o próximo ...

Testemunho de sucesso no APO'S - parabéns Renata




"Meu peso se tornou um grande problema quando cheguei na America.Entao vivia falando vou fazer regime e nunca fazia,já havia tomado remédio e mesmo assim não perdia peso.Mas quando conheci a Ana Paula confesso que achei que jamais conseguiria ,mas gracas a ela me tornei uma nova pessoa ,aprendi a me alimentar da forma correta e sadia !!!!Espero que você também consigo, é uma sensação maravilhosa ...
OBRIGADA ANA PAULA"

Dados da Renata Souza
Perdeu 52 lb em 8 meses

Peso inicial - 221 lb - 100.3Kg
Peso Meta - 150 lb - 67.8 Kg
Peso Atual - 169lb - 76.7Kg

Estamos orgulhosos do seu desenvolvimento no tratamento Renata. Continue firme e conte conosco neste desafio da conquista de uma vida mais saudável e feliz. Está quase lá!
Ana Paula ornelas
nutricionista




Dieta Vegetarina - Leia e se informe

Dieta Vegetariana

A nutrição, como ciência, vem progredindo muito nos últimos anos. Hoje, o cuidado com a alimentação deve ser constante, não só na fase adulta -- quando já surgem doenças -- mas na infância, com o caráter da prevenção. A Associação Dietética Americana opina sobre a dieta vegetariana: "a proteína de fonte vegetal pode fornecer quantidades adequadas de aminoácidos (essenciais ou não ), desde que a fonte protéica seja variada e a ingestão de calorias conveniente. Grãos integrais, legumes, vegetais, sementes e nozes -- todos com aminoácidos essenciais ou não-essenciais." "Uma correta combinação destes dispensa a complementação de carne. E mais, em termos de proteína, a soja tem se mostrado nutricionalmente equivalente à proteína animal. Porém, a quantidade diária de proteínas ingeridas pelos vegetarianos fica aquém em relação aos não-vegetarianos. A menor ingestão de proteínas é associada à melhor retenção de cálcio pelos ossos e à melhoria funcional dos rins já danificados. Menos proteínas pode significar menos gordura -- e suas vantagens inerentes, pois os alimentos com alta taxa protéica têm, em geral, alto teor de gordura."
E as crianças? Estudos apontam vantagens em iniciar-se esta dieta ainda na infância: "a média de proteínas absorvidas por crianças vegetarianas, geralmente, excede as necessidades. Se ingeridas adequadamente, as calorias (energia) e proteínas também o serão. A dieta vegetariana infantil reduz riscos de doenças coronarianas, câncer, obesidade e outros males -- que começam, em muitos casos, na infância. Tantos os adultos quanto crianças deveriam adotar, pelo menos, a dieta lacto-ovo-vegetariana -- vantajosa para a saúde, para o meio-ambiente e para o bolso."
O crescimento das crianças vegetarianas é igual aos das demais, com exceção da fase pré-adolescente que tende a retardar o início da menstruação. De certo modo, isto é bom, já que o amadurecimento precoce não é de todo desejado. Os estudos prosseguem e ratificam, cada vez mais, os benefícios de uma alimentação simples e, principalmente, natural.
Os vegetarianos podem ficar tranqüilos, os alimentos vegetais estão cheios de nutrientes incluindo bastante proteína, ferro e cálcio. Sendo vegetariano ou não, a chave para a saúde é simples: incluir uma grande variedade de alimentos diferentes em sua dieta - nenhuma fonte alimentar é nutricionalmente completa por si própria. Os vegetarianos escolhem grãos, vegetais, legumes, nozes, sementes e frutas. Ovos e derivados de leite são opcionais. Em uma dieta baseada em vegetais, nós temos uma vantagem distinta que é a de obter nutrientes de alimentos com alto teor de fibras e baixo teor de gordura saturada e colesterol. Devemos evitar ingerir muitos alimentos refinados.
Costumávamos acreditar que vários alimentos vegetais teriam que ser ingeridos em conjunto para obtermos toda a quantidade de proteína, mas várias autoridades em nutrição, incluindo a American Dietetic Association, determinaram que nao é necessário fazer um esforço intencional de combinar os vegetais. Embora haja uma quantidade menor de proteína em uma dieta vegetariana, isso é na verdade uma vantagem. O excesso de proteína tem sido relacionados a doenças e ataques do coração, vários cânceres, pedras nos rins, osteoporose e diabetes em idade avançada. Uma dieta contendo uma variedade de grãos, legumes e vegetais fornece proteína o bastante sem a superdosagem a que a maioria dos que comem carne estão expostos.
Apenas 1/5 do ferro da dieta comum é obtida da carne. Os derivados do leite são deficientes em ferro. Os vegetais mais ricos em ferro são os de folha verde-escura, produtos de soja, legumes, grãos integrais, frutas secas, nozes e sementes. O uso de panelas e recipientes de ferro também contribui com a ingestão necessária. A adição de alimentos ricos em vitamina C às refeições, tais como frutas e verduras, aumenta a absorção de ferro.
As boas fontes vegetais de cálcio são os vegetais folhosos de côr verde-escura, legumes, tofu, leite de soja, tahini (sementes de gergelim moído), amêndoas, figos e algas. Algumas das águas minerais possuem bastante cálcio. O cálcio é também encontrado em produtos derivados do leite mas a carne e o peixe são essencialmente deficientes. Não se tem notícia de nenhum caso clínico de deficiência de cálcio em vegetarianos que não ingerem derivados de leite e é um fato conhecido que o corpo humano pode se adaptar à uma baixa ingestão de calcio.
O zinco é facilmente obtido de vários alimentos vegetais - grãos integrais (pão, massas e arroz), germe de trigo, tofu, tempeh, misô, legumes, brotos, nozes e sementes - bem como ovos e derivados de leite.
A vitamina D se forma na presença de luz solar direta ou indireta. Nosso organismo armazena vitamina D durante o verão para o uso durante o inverno. Na média, cerca de 10 a 15 minutos de sol no rosto e mãos para pessoas de pele clara são suficientes. Pessoas de pele escura, idosos e habitantes de regiões mais frias podem necessitar de uma exposição maior. Os protetores solares de fator igual ou maior que 8 impedem a síntese da vitamina D. Produtos derivados de leite, margarina e suplementos vitamínicos contêm vitamina D adicional.
A vitamina B12 pode ser motivo de atenção no caso dos vegans (vegetarianos que não ingerem alimentos de origem animal), mas é fácil lidar com essa necessidade. Em sociedades mais tradicionais, com práticas de higiene menos rigorosas, a obtenção dessa vitamina das plantas não seria difícil. Os microorganismos que produzem B12 proliferam no solo e aderem às raízes dos vegetais. O processo tradicional de fabricação de alimentos como o misô e o tempeh também produz essa vitamina. Com os controles sanitários de hoje em dia, essas fontes de B12 provavelmente foram eliminadas. As pessoas que comem carne obtêm B12 através dos microorganismos que vivem nos animais. Embora os casos de deficiência sejam bem incomuns, é importante incluir uma fonte confiável de B12 em nossa dieta. A falta de B12 pode levar à uma anemia séria. As fontes incluem leite e derivados, ovos, iogurte, queijo, suplementos vitamínicos, e alguns alimentos enriquecidos como a levedura nutritiva Red Star (T6635+); esta marca é vendida pelas lojas Noah, The Big Carrot, Taste of Nature e Baldwin. Outras fontes que podem ser confiáveis são as bactérias que ainda vivem nos vegetais lavados mais ligeiramente e a atividade bacteriana no intestino delgado, mas essas fontes ainda não foram comprovadas cientificamente. Estudos de longo prazo envolvendo vegans não têm detectado deficiência de B12 e, ironicamente, devido à problemas de absorção de B12, mais pessoas que comem carne sofrem dessa deficiência que os vegans. O corpo humano armazena um suprimento de B12 suficiente para 2 a 7 anos. É especialmente importante que as mulheres grávidas e lactantes assegurem a ingestão de B12.
Todas as outras vitaminas, minerais, gorduras e carbo-hidratos são encontrados em grandes quantidades no reino vegetal. Seria praticamente impossível criar uma dieta baseada em vegetais que não tivesse essas substâncias. Se estiver tendo dificuldade em se adaptar a uma dieta vegetariana, pode ser que seu organismo precise de alguns meses para se desentoxicar. Tente experimentar uma variedade de alimentos e métodos de cozimento diferentes. No caso de preocupação com uma possível deficiência nutricional, sempre é possível fazer um exame de sangue, mas fique seguro que em uma dieta vegetariana variada não há carência de nutrientes e é uma opção comprovadamente forte na promoção da saúde. Bom apetite ! Fica aqui esta opção.

Thursday, July 17, 2008

Testemunho de sucesso no APO'S - parabéns Meirelene




38 libras a menos e muito mais disposição para o dia-adia


"Eu sempre tive problemas com controle de peso e nunca tive acompanhamento de um profissional. Quando fazia dieta sempre tomava remédios e só acreditava em perda de peso tomando remédios. Enfim, sempre achei que só conseguiria perder peso se eu tomasse remédio. Cheguei a conclusão que se eu não tiver dominio proprio eu não vou conseguir perder peso.
Eu aprendi que não preciso comer demasiamente só tenho que comer o suficiente.
O tratamento com a Ana paula é uma reeducação alimentar e ela te ensina a como comer bem e com saúde ."


Meire

Tuesday, July 15, 2008

O que fazer com o ganho de peso na meia-idade?


O que fazer com o ganho de peso na meia-idade?

Agora que você passou dos 40, e deve ter notado que não é tão fácil perder aquele peso de antes do verão. Na verdade, você parece ganhar peso com mais facilidade, apesar de ter uma dieta mais saudável.
Conforme envelhecemos, nosso metabolismo desacelera. Por volta dos 20 anos perdemos cerca de 200 gramas de músculo por ano. Os músculos são tecidos bastante ativos, requerendo oito vezes mais calorias do que o tecido gorduroso, mesmo durante o repouso. Menor massa muscular significa uma menor taxa de metabolismo. Estudos mostram que um adulto perde aproximadamente 200 gramas de músculo por ano e ganha cerca de 600 gramas de gordura. Isso representa uma perda de 1kg de músculo e o acúmulo de 3kg de gordura por década.
Mesmo que você não mude a sua alimentação, ganhará peso pelo fato de a sua ingestão calórica ultrapassar o gasto de energia do seu organismo. E essas calorias extras são armazenadas sob a forma de gordura na porção central e superior do corpo. O ganho de peso nessa região está relacionado a um maior risco de doenças cardíacas, diabetes e hipertensão.

A dieta e outros fatores que contribuem para o ganho de peso
Quando você perde muito peso rapidamente, perde tecido muscular e gordura. Esse é o preço a pagar por esse tipo de dieta. No começo você pode parecer melhor, mas se não praticar exercícios regularmente perderá massa muscular e diminuirá seu metabolismo. Essa é uma das razões pelas quais você volta a engordar. O resultado é a perda muscular e um eventual ganho de peso. Alguns outros detalhes também podem reduzir a massa muscular. As mulheres que não realizam exercícios físicos durante a gravidez podem ter seu tecido muscular reduzido, além do aumento de gordura na preparação para o parto e a amamentação. Se você não perder todo o peso ganho durante a gestação e tiver mais filhos, a sua relação corporal entre gordura e músculo piora. Para os homens, trabalhos sedentários, menos tempo para o esporte e uma alimentação inadequada contribuem para reduzir a massa muscular. Para as mulheres na fase da peri-menopausa, as alterações hormonais associadas ao envelhecimento podem tornar as coisas mais difíceis. Com a diminuição da produção ovariana de estrógeno, as células gordurosas do abdome passam a se multiplicar, para se tornarem uma fonte suplementar de estrógeno. A sua necessidade calórica se reduz a 400 calorias, e a deposição de gordura na região da cintura é mais comum. Há também o fato de que as células gordurosas femininas são muito eficazes no armazenamento de gordura, mas devagar na sua liberação.

Você pode lutar contra isso?

Não sacrifique mais a sua massa muscular - trabalhe seus músculos ou você irá perdê-los. O treinamento de força é a saída mais eficaz para aumentar o metabolismo. Um estudo realizado nos Estados Unidos avaliou os efeitos de diferentes tipos de exercício sobre a composição do organismo. Na ocasião, 72 homens e mulheres foram submetidos a uma mesma dieta, e foram divididos em dois grupos. Um realizava 30 minutos de exercícios aeróbicos três vezes por semana, enquanto o outro dividia o mesmo intervalo em exercícios de força e aeróbicos. Após oito semanas, o grupo de exercícios aeróbicos perdeu cerca de 600 gramas de gordura e 100 gramas de músculo, enquanto o grupo com exercícios combinados perdeu dois quilos de gordura e ganhou 400 gramas de músculo. Os exercícios aeróbicos melhoram a condição cardiovascular e queimam calorias, mas aumentam o metabolismo apenas um pouco. A musculação protege você da perda muscular, ao mesmo tempo em que promove a perda de calorias. Isoladamente, a longo prazo, as dietas não funcionam. Miriam Nelson, em seu livro Strong Women Stay Young, trabalhou com mulheres que tinham entre 60 e 70 anos de idade e comprovou que a musculação pode substituir gordura por músculo, reverter a perda óssea, melhorar a energia e o equilíbrio, e controlar o peso.
Dicas:
- Ter uma dieta eficaz, equilibrada, para a perda de peso é o essencial. O APO’s te garante a perda de peso com uma dieta balanceada e que considera você com suas características. Chega de dietas milagrosas, de shakes, de pílulas emagrecedoras. No APO’s as dietas possuem aproximadamente 20-30% de gordura, 10-20% de proteína e cerca de 40-60% de carboidrato
- Faça musculação ela não somente queima a gordura, como também melhora a sua aparência. E não deixe de lado as caminhadas.
Recomendações para limitar a quantidade de calorias -Não coma carne mais de uma vez por dia. No lugar de carne vermelha ou carnes processadas, prefira peixe e aves.
-Evite frituras, pois os alimentos absorvem as gorduras e aumentam a sua ingestão diária. Dê preferência aos assados e grelhados. No caso de comidas fritas, use óleos poliinsaturados (como o óleo de milho, girassol e canola).
-Diminua a quantidade de sal, tanto o sal comum como o contido em outros temperos (por exemplo, o glutamato monossódico).
-É importante incluir fibras na sua dieta. Elas são encontradas em folhas, vegetais, frutas, feijão, flocos de trigo, nozes, raízes e alimentos integrais.
-Não coma mais que quatro ovos por semana. Apesar de serem uma boa fonte de proteínas, pobres em gorduras saturadas, são muito ricos em colesterol, e por isso devem ser evitados.
-Em vez de biscoitos, bolos e pudins, escolha frutas frescas como sobremesa.
-Tudo em excesso tem suas desvantagens, sejam calorias ou um tipo particular de comida. Uma dieta balanceada, com variedade e criatividade, suprirá bem as suas necessidades.


Sunday, July 13, 2008

Adair - 90 Lbs a menos e muito mais energia para a vida! Parabéns


Queremos através deste testemunho lhe encorajar a viver no peso ideal. Para você conquistá-lo basta você decidir querer, o restante o APO’s faz por você!


Primeira consulta: 12-15-07 Paciente: Adair Bonfim (Juninho) Peso a ser perdido – 150 lb

"Desde os 9 anos de idade vou ao médico para poder emagrecer, acho que tomei umas caixas de Inebex. Sabe de uma coisa, funcionou, cheguei a pesar 78 kg aos 20 anos, com 1.80 cm de altura. Em um determinado ano pararão de fabricar e vender o milagroso Inebex. Então observei que se eu não o tomasse ganhava o peso perdido e tinha que ir na loja do Agostinho, pois era a única loja que vendia roupas fora do padrão.
Quando vim para a América conseguia trabalhar 16 a 18 horas por dia sem me cansar muito, com o passar do tempo o nervosismo apareceu e somente me acalmava com um belo prato de arroz, feijão, bife, macarrão, maionese e claro um pouco da gordura de onde o bife foi frito. Com isso pude ver que podia matar dois coelhos com uma paulada só, podia acordar às 2 ou 3 da manhã e comer um belo prato feito (P.F), e se alguém me visse falava que era o nervosismo. Nos últimos anos vi que as coisas estavam ficando melhor , podia comer de tudo e se a roupa não servia mais, era só eu ir na Casual Male que lá sempre achava um número maior. Tive que arrumar alguém para poder trabalhar comigo, pois não conseguia mais abaixar para pegar as coisas, também comprei um colchão de 3.000 dólares, pois já estava dormindo no chão há 8 meses. De tanto falarem na minha cabeça, resolvi tentar uma nutricionista brasileira , pois já tinha ido a uma americana que apenas perguntava o que eu comi ontem , o que comi hoje, e o que vou comer amanhã e depois falava para eu não comer o que engorda e pronto. Em Dezembro de 2007 comecei minha batalha fui ao APO’s Nutrition Health Center, pela primeira vez achei boa a dieta, voltei 15 dias depois e tinha perdido algo, na segunda dieta achei que não seria ruim e quando voltei perdi mais algumas libras, a cada 15 dias vi que sempre ela trocava a dieta e sempre estava perdendo algo. Não posso esquecer de dizer que em uma dessas dietas tive que ficar 15 dias sem comer arroz e feijão que eu achava impossível.
Nessa somatória toda até hoje, fiz as contas de quanto eu perdi, foram 3 calças, 2 cintos, 5 bermudas e 97 libras. Mas uma coisa eu tenho certeza o resultado dos ganhos foi melhor, ganhei saúde, disposição, energia, elogios de todos querendo saber o que aconteceu, e eu falei que desde aquele dezembro passei a obedecer minha necessidade de viver e alimentar melhor depois de 38 anos fazendo tudo errado. Hoje tenho disposição para trabalhar, andar, e muito prazer ao comer, pois como de tudo o que quero e agora estou satisfeito pela qualidade e não pela quantidade. O valor pago por isso não calculo, pois quando compro um sapato, um computador, uma televisão nunca olhei para o preço e sim para o prazer que iria me proporcionar. Por isso é que agora sempre faço uma visita aqui aos Sábados para proporcionar mais prazer a minha vida.
Hoje 06/28/08 foram mais 8 lb embora e tenho certeza que iram muito mais . A última coisa que quero dizer é, a resposta sempre tem que ser ....eu vou te obedecer Ana Paula."
Adair Bonfim